Nutriplato, uma didática e simples maneira de comer equilibradamente

Refeitório escolar. EFE/Javier Cebollada

Artigos relacionados

Terça-feira 14.03.2017

Segunda-feira 13.02.2017

Terça-feira 10.01.2017

Terça-feira 03.01.2017

Terça-feira 11.10.2016

Quarta-feira 14.09.2016

Quarta-feira 27.05.2015

O estilo de vida dos espanhóis mudou significativamente. Fomos longe da típica dieta mediterrânica e estamos adquirindo hábitos mais sedentários, e isso se traduz em uma maior taxa de excesso de peso (23,2%) e obesidade (18,1%) na infância, de acordo com dados da OMS.

Na infância é quando institui os costumes de vida, por isso é tão importante dotar as famílias de uma adequada educação e colocar à sua disposição ferramentas para que as crianças adquiram hábitos de vida saudáveis que perdurem ao longo de sua vida.

Um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), publicado em 2003, chamado “Regime alimentar, nutrição e prevenção de doenças crônicas”, assegura que limitar o tamanho das porções de alimentos, reduz o risco de excesso de peso e obesidade infantil.

Afirma ainda que as crianças obesas têm maior risco de desenvolver problemas de saúde graves como:

  • Diabetes tipo 2
  • Hipertensão arterial
  • Asma
  • Distúrbios do sono
  • Hepatopatías
  • Baixa auto-estima
  • Depressão
  • Isolamento social
  • Morte prematura
  • Deficiência em idade adulta

Nutriplato, além de um prato físico

O Nutriplato mostra de uma forma simples, gráfica e atraente a proporção de verduras, carboidratos e proteínas que devemos tomar em cada refeição.

  1. Em cor verde: vegetais e produtos hortícolas (50%)
  2. Em vermelho: carne, peixe, ovos ou legumes (25%)
  3. Em amarelo: cereais ou tubérculos (25%)

um guia para orientar os pais sobre as quantidades que tem de tomar a criança em função da idade e oferece ideias práticas com receitas variadas.

Os materiais foram elaborados pela Nestlé com o assessoramento de uma equipe de nutricionistas-nutricionistas do serviço de Gastroenterologia do Hospital Sant Joan de Déu, em Barcelona.

O Nutriplato junto com o seu guia será distribuído em primeiro lugar entre os pacientes da Unidade de nutrição clínica e dietética do Hospital Sant Joan de Déu” para avaliar se o seu uso afeta os hábitos alimentares. Em uma segunda fase foi distribuído a todos os pacientes do hospital e se estender a outros domínios, como os centros de atenção primária.

Vida mais rápida, alimentação mais deficiente

Anabel Aragão, responsável pela saúde e nutrição da Nestlé, garante: “apesar de que agora existe mais informação do que nunca sobre as recomendações nutricionais, vamos para trás e nos afastamos da dieta mediterrânea. Devido ao ritmo de vida que levamos agora, é um desafio realizar uma boa prática”.

A nutricionista do Hospital Sant Joan de Déu Mireia Termes concorda com a ideia de que se está perdendo “o conceito de dieta saudável” e defende que com este projeto quer “promover que as famílias voltem a comer de forma equilibrada, de acordo com a dieta mediterrânica, para prevenir o excesso de peso e a obesidade, que está se dando nos últimos anos”.

Aragão indica que o Nutriplato é uma “ferramenta prática” , que explica como comer e em que quantidade, e pode melhorar o dia-a-dia das pessoas.

“Através do observatório da Nestlé vimos que não existe ainda suficiente sensibilização em muitos pais sobre a problemática do excesso de peso em seus filhos, não o vêem como um problema de saúde presente, nem futuro”, declara o responsável de saúde.

Ambas terminam com a necessidade de seguir alguns “bons hábitos alimentares”; há doenças em que não se pode interferir, pois são de caráter genético, mas na alimentação, mas sim que podemos, por isso está na nossa mão, ser conscientes e responsáveis da importância desta tarefa, porque somos o que comemos.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply