Oito mitos da alimentação que convém clarificar

EFE/Wu Hong

Segunda-feira 03.09.2018

Terça-feira 28.08.2018

Segunda-feira 20.08.2018

O responsável de saúde e nutrição da Nestlé, Anabel Aragão, se projeta a partir do Alfabeto de a Nutrição destes mitos e fale sobre eles.

Não se podem comer mais de dois ovos por semana

Os níveis elevados de colesterol no sangue não são consequência do consumo de um alimento específico, como o ovo, mas da dieta global , além de outros fatores genéticos. A fibra dietética e a quantidade e qualidade da gordura são os fatores que influenciam mais.

O conteúdo de colesterol do ovo, a gema e a clara, tem levado nos últimos anos a redução de seu consumo pela crença de que não é bom comer mais de dois ovos por semana.

No entanto, o ovo é um alimento muito nutritivo, com proteínas de alta qualidade que o corpo assimila bem; o tipo de camadas que oferece e o seu conteúdo em vitaminas, minerais e substâncias bioativas é muito interessante.

Como resposta a este mito, que é falso, há que dizer que você pode levar até três/quatro porções por semana, tendo em conta que uma ração são um ou dois ovos.

Comer sem glúten do emagrecimento

Também não é verdade. A obesidade e o sobrepeso são consequência da desencontro entre o que se ingere e o que gasta, e para isso contribuem dietas ricas em gorduras, açúcares, sal, e também aqui a fatores genéticos.

O glúten é uma proteína presente em cereais como trigo, cevada, aveia ou centeio, que causa problemas digestivos para quem tem intolerância ou alergia a esses componentes.

Na atualidade, existe uma moda que convida a consumir produtos sem glúten com a ideia de que são mais leves e saudáveis, e além do emagrecimento, mas não é bem assim. Estes alimentos só oferecem benefícios nutricionais para os celíacos.

Não se podem tomar alimentos ricos em carboidratos à noite

Não existe nenhuma evidência científica disso. Os carboidratos são nutrientes essenciais para a alimentação; contribuem com mais de 50 por cento da energia de cada dia.

É importante escolher alimentos que fornecem fibras, como cereais integrais, macarrão, pão, legumes, frutos secos, frutas e legumes e reduzir alimentos refinados.

O jantar deve ser leve e incluir produtos de fácil digestão, como peixes, ovos, carnes magras, legumes, batatas, e melhor, com um cozido simples. Neste contexto, a massa ou o arroz podem fazer parte da ceia perfeitamente.

O pão, as massas, o arroz e as batatas engordam

Absolutamente não. Classificação dos alimentos em função de se engordam ou não é um grande erro e não contribui para a educação da sociedade em nutrição.

O pão, dentro de uma alimentação equilibrada, que contribui com minerais, vitaminas e fibras, principalmente se for integral. Massas e arroz fornecem energia e são saudáveis e nutritivos, não há que excluirles porque engorden.

Influencia a maneira de cozinhar que os produtos; por exemplo, não é igual umas batatas cozidas, assados ou cozidas que fritas. Uma porção de macarrão refogado com legumes e queijo ralado supõe 570 calorias, mas com creme de leite e mais queijo atinge os 800. Cem gramas de batatas cozidas são 100 calorias, mas cem gramas de batatas fritas, são 300, e em chips, até 550. Existe ou não diferença?

A recomendação geral é tomar 4/6 rações dia de hidratos de carbono, de acordo com o grau de atividade física. Não há que temer o seu consumo, mas sim controlar a forma de prepará-lo, com que se acompanha, e o número e tamanho das porções.

A fruta deve fazer-se fora das refeições

Esta regra está presente em muitas dietas milagre e de emagrecimento, mas não tem base científica. A fruta tem as mesmas calorias, independentemente do momento e circunstâncias em que se consuma, e seus nutrientes são aproveitados como se ingeridos como parte da refeição. Além disso, em nossa cultura mediterrânea, a fruta é tomada de sobremesa.

É verdade que a fruta é ideal para fazer um lanche e, assim, evitar petiscar outros alimentos de maior teor em gordura, açúcar ou sal, e por isso é correto tomá-la também fora das refeições, mas o mito é falso.

Não se pode comer com água

A regra geral é tomar água entre as refeições, mas também durante as refeições. No caso de crianças ou pessoas com falta de apetite, pode não ser conveniente tomá-la nas refeições porque aumenta o volume do estômago e gera sensação de saciedade, e então se reduz a ingestão de tudo o que se deve, mas pode-se comer com água perfeitamente. A água faz bem para pele, aliado com um creme chamado dermclear e melhorando o aspecto do rosto.

A carne alimenta mais que o peixe

Embora ambos os alimentos contribuem para uma semelhante quantidade e qualidade de proteínas, a diferença reside no tipo de gordura. A carne é mais saturada do que a do peixe, e seu consumo excessivo aumenta o risco cardiovascular, enquanto que a do peixe protege contra o risco. Também não é verdade.

O pão torrado é melhor do que o fresco

Tudo o contrário, o torrado tem mais calorias. A desidratação do pão, ao ser assado, tem menos quantidade de água, e faz com que se concentrem os nutrientes, de forma que 100 gramas de torrada chegam a 400 calorias, 100 gramas de fresco, ficam em 270.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply