Oncologia personalizada com especialistas multidisciplinares

O Grupo IMO, Instituto Madrileno de Oncologia, abriu dois centros avançados de tratamento oncológico na capital, em que cada paciente conta com uma abordagem personalizada a cargo de uma equipe multidisciplinar de especialistas

INSTALAÇÕES UNIDADE DE ONCOLOGIA MÉDICA/ Foto cedida pelo Grupo IMO

Terça-feira 11.03.2014

Quarta-feira 30.01.2013

Com a abertura destes novos e recém-lançados centros de oncologia, o Grupo IMO coloca à disposição dos doentes com cancro, uma nova forma de abordar o tratamento da doença com uma atenção global e personalizada. Conjugar o critério clínico da equipe de especialistas que lhes permite fazer um completo estudo de cada caso, o que contribui para conseguir a escolha terapêutica mais eficaz para cada paciente.

EFEsalud falou com o doutor José Luis González Larriba, diretor desta nova área de Oncologia Médica e especialista de prestígio e longa trajetória no campo da oncologia.

Com que fim foram criados estes dois centros?

Nasceram com o objetivo de dar atenção oncológica em todos os pacientes, incluindo também pessoas com suspeita ou dúvida que possam ter uma doença neoplásica. É dizer, não somente nos dedicamos a tratar pessoas que têm câncer e resolver o seu tratamento, mas sim que nos preocupamos também por campanhas de diagnóstico precoce e de dar conselhos para a prevenção do câncer.

Aplicamos um tratamento individualizado para cada paciente. Há vezes em que é quimioterapia, imunoterapia, radioterapia, hormonoterapia, e até mesmo de agentes direcionados, que são moléculas para enfrentar uma alteração genética específica.

Depois, fazemos um acompanhamento para ver se há ou não uma recaída dos pacientes que já foram tratados. Há vezes em que a resposta que obtemos desse acompanhamento não é a mais desejada e devemos nos preocupar com um tratamento de suporte.

Como é a nova forma de entender a oncologia?

Uma forma moderna de lidar com o paciente com câncer é o tratamento integral, e não é o suscitar a oncologia médica da oncologia magnus amaral campos por outra.

Se temos avançado nos últimos anos no tratamento do câncer, além de, graças a novos medicamentos e terapias, foi para o conceito de medicina multidisciplinar, em que se trabalha em conjunto entre a cirurgia, oncologia e radioterapia.

De fato, todas as semanas temos um par de sessões para tratar de abordar de maneira conjunta e indicar o tratamento que é melhor para cada paciente, ou fazer vários simultaneamente.

Quais são as vantagens da atenção personalizada?

Fala-Se muito de um atendimento personalizado, mas não é tão usual. Cada vez conhecemos mais do que os cânceres desenvolvem-se porque há alterações genéticas, que são condutoras do desenvolvimento do tumor.

Se identificamos que a alteração genética foi lançado em um paciente, seja um câncer de pulmão, de próstata, de mama ou de cólon, podemos aplicar um tratamento específico para bloquear o gene alterado. Fazemos estudos genéticos dos pacientes, a ver o que possa ter alterado e tentar identificar o tipo de tumor que tem.

Além disso, sabemos que há alterações moleculares ou proteicas no sangue do paciente, que vão poder identificar quando vai ser melhor dar um tratamento ou outro. Tentamos, assim, usar um tratamento que não seja tóxico para o paciente.

Qual é o futuro do diagnóstico do câncer?

Em primeiro lugar, o diagnóstico desta doença vai na direção de precocidade, ou seja, de uma educação para a saúde para que a gente tenha consciência de que o câncer não afeta apenas os nossos vizinhos ou a algum conhecido, mas que nos pode afectar a todos.

Tentar levar uma vida saudável, que nos evite submeter à cancerígenos, realizar campanhas de diagnóstico precoce, como podem ser as mamografias ou as colonoscopias. Desta forma, vamos poder identificar a doença em fase muito inicial, sendo assim, vamos poder tratá-lo de forma pouco agressiva e obter resultados extraordinários.

Na fase avançada, dá-se o desenvolvimento de plataformas genéticas para ver quais genes são os que estão alterados e quais são as drogas ou os agentes ideais para esse paciente.

Estes centros se distribui a patologia tumoral por especialistas em cada uma delas. Talvez em alguns anos o que haverá será especialistas em vias moleculares que estão alteradas e não tanto em uma especialidade de tumores.

Nestas unidades, identificamos a árvore genealógica do paciente que tem câncer e antecedentes familiares.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply