Ondas de choque contra a disfunção erétil vascular

DR. JOSÉ BENÍTEZ MOLINA / GREGORIO DO ROSÁRIO / DAVID TAMANHO | Gregorio Do RosarioMartes 01.08.2017

O que são as ondas de choque?

As ondas electro-acústicas, de diferente intensidade, aplicam-se sobre a área a tratar do paciente. São ondas de pressão que se deslocam à velocidade do som. Em Medicina, primeiro foram utilizados para a fragmentação de cálculos renais ou do trato urinário.

De baixa energia, na atualidade, são utilizadas, por exemplo, disfunção erétil (DE) de causa vascular, doença de Peyronie, ou em traumatologia (cotovelo de golfista e de tenista, fascite plantar, esporão calcâneo, tendinite patelar, necrose de quadril, tendinite calcificante do ombro, etc.).

Esta terapia tecnológica, não farmacológica, acelera o processo de autocuración no corpo humano por um efeito de neovascularización ou angiogénese: melhora a circulação sanguínea, estimula a geração de vasos sanguíneos, ativa o metabolismo e ajuda a curar o tecido endotelial danificado (que recobre a parte interna dos vasos sanguíneos).

As ondas de choque produzem um aumento de fibras de músculo liso dos corpos cavernosos do pênis, o que favorece a dilatação arterial e, por conseguinte, um maior afluxo de sangue e um melhor armazenamento; duas condições básicas para uma rigidez satisfatória.

“As suas vantagens vasculares são indiscutíveis, mas é que também é uma técnica indolor e não invasiva; que não requer sedação ou anestesia; não tem efeitos adversos ou colaterais. E o paciente continua com sua vida normal depois de cada sessão, voltando aos seus afazeres rotineiros, depois de passar por consulta clínica”, diz.

Cada ciclo terapêutico de ondas de choque é composto por cinco sessões, uma sessão por semana. Cada sessão dura entre 15 e 20 minutos. As ondas, com cerca de 3.000 impulsos, distribuídas por todo o tecido erétil, inclusive em sua área perineal. Estes ciclos podem ser repetidos quantas vezes forem necessárias, sempre indicado por um médico especialista.

Resultados das ondas de choque

Se vários estudos internacionais têm destacado que as ondas de choque de baixa energia, melhoram substancialmente a ereção no homem, mesmo comprovou-se que a entrada de sangue no pênis aumentou 140%, as conclusões de Boston Medical Group destacam a constância no tratamento .

“De uma análise sobre a 350 pacientes tratados com 2 ou 3 ciclos de ondas, 60%, o de ter relações sexuais sem medicação e 70% melhorou sua qualidade de suas ereções e a sua maior satisfação durante a relação sexual”, salienta.

“Os dados deduz-se, ademais, que os resultados positivos crescem à medida que se aplicam mais ciclos de ondas de choque: 85% dos pacientes tratados com vários ciclos melhorou em frente ao 69% dos que receberam um ciclo único”, acrescenta.

TODOS OS VIDEOBLOGS do Dr. José Benítez Molina

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply